Gripe ou resfriado? Conheça as diferenças e como tratar cada caso.

A melhor forma de se proteger da doença ainda é a vacinação anual. Saiba como identificar a partir dos sintomas.

As complicações respiratórias logo aparecem com a chegada do inverno. A ausência de chuva durante a estação, as bruscas mudanças de temperatura, a poluição e os ambientes fechados para amenizar o frio são condições propícias ao surgimento de gripes e resfriados.

As duas doenças costumam ser confundidas pela semelhança, mas a intensidade e a duração dos sintomas definem o diagnóstico. Os principais sintomas de gripe são dores pelo corpo, coriza, espirros, dor de cabeça e febre. Pode ocorrer ainda dor de garganta e dor de ouvido, e a duração é de até sete dias. Já o resfriado tem sintomas semelhantes, porém mais brandos e dura de três a cinco dias.

O contágio acontece muito rápido, basta estar próximo de alguém doente em uma sala fechada. O vírus se espalha através de gotículas de secreções respiratórias eliminadas por tosse, espirro ou fala. A gripe é causada pelo vírus influenza, e o resfriado é causado por outros diversos vírus, como rinovírus e o parainfluenza.

Os tratamentos também são parecidos: hidratação vigorosa, alimentação saudável e balanceada, higiene nasal com soro fisiológico e medicamentos sintomáticos. “Em pacientes com doenças crônicas, ou que tenham critérios de gravidade, adotamos tratamentos específicos”, conta.

A melhor forma de se proteger da doença ainda é a vacinação anual, já que os vírus se modificam. Evitar ambientes fechados, aglomerações de pessoas e manter a boa higiene das mãos — água, sabão, além de álcool gel — também são importantes para a prevenção.

Fonte: R7Data de publicação: 29/07/2019

Parceiros