ALZHEIMER: TESTES IDENTIFICAM MUDANÇAS PRECOCES ANTES QUE SINAIS APAREÇAM

Um novo teste é capaz de levar ao diagnóstico precoce do Alzheimer ao detectar níveis anormais da proteína tau, quadro encontrado em quem está no estágio inicial da doença, antes do desenvolvimento de problemas cognitivos, de acordo com estudos  publicados recentemente.

Os cientistas acreditam que existem dois principais fatores por trás do processo e que envolvem duas proteínas diferentes:

  • Beta-amiloide Começa a se acumular e, junto com células mortas, forma depósitos entre os neurônios conhecidos como placas senis.
  • Tau Forma emaranhados neurofibrilares dentro das células nervosas

O que está por trás desse acúmulo anormal de proteínas ainda é algo em estudo. Outras alterações também parecem interferir no processo, como problemas vasculares que impedem o aporte adequado de sangue e nutrientes, como a glicose, para o cérebro, além da existência de um processo inflamatório crônico, uma vez que as células responsáveis pela “faxina” local, como as gliais e os astrócitos, são impedidas de cumprir sua função.

As descobertas relatadas nessas publicações mostram que as novas ferramentas altamente sensíveis captam as primeiras alterações da doença de Alzheimer no cérebro em pessoas clinicamente normais. “Essas ferramentas têm o potencial de avançar na triagem da população e nos ensaios clínicos.

Fonte: Uol/Viva bem

Data de publicação: 2/12/2020

Parceiros